Centro de Actividades OcupacionaisRetroceder
Imagem CAO
Mini LogoMini Logo
Mini LogoMini Logo
Imagem de uma visita de estudo

O  Centro de Actividades Ocupacionais (CAO), constitui-se como uma resposta social, que tem como objectivo fundamental proporcionar condições para um aumento da qualidade de vida de pessoas com deficiência visual ou baixa visão  da partir dos 16 anos. Esta resposta desenvolve-se através de actividades socialmente úteis com o intuito de estimular ao máximo as potencialidades dos destinatários. Pretende-se que os clientes desta resposta social desenvolvam a sua criatividade e sejam cada vez mais activos, não existindo, no entanto qualquer exigência em termos de produtividade. O produto final das actividades dos clientes, sempre que possível, funciona como estímulo, não só à sua valorização pessoal, mas também como factor de integração e visibilidade social através da sua comercialização em eventos específicos.



O Centro de Apoio Ocupacional é apoiado pelo Centro Regional de Segurança Social de Lisboa e Vale do Tejo. O financiamento, neste caso, acontece com toda a lisura e regularidade, justiça seja feita ao CRSSL.




Terapias Expressivas

Apresentação geral do projecto de terapias expressivas  “do Teatro á Dança” – Criação de um grupo “Toc´Ópalco” ao INR

As terapias expressivas, consideradas práticas psicoterapêuticas de mediação corporal, têm vindo a crescer em termos de campos de acção – desde a saúde mental, passando pelas dificuldades de aprendizagem, inserção social, deficiência física, etc. –, de aplicações de técnicas e metodologias e de princípios teóricos de fundamentação. Tal crescimento deve-se, em parte, aos resultados observados pela sua prática nos diversos contextos de aplicação, o que vem ocorrendo desde meados do século XX.

 O terapeuta expressivo trabalha com uma variedade de pessoas com desequilíbrios emocionais, dificuldades de aprendizagem, doença física ou mental, deficiência mental ou, simplesmente, pessoas que pretendam utilizar a terapia pela arte como meio de crescimento pessoal e social.

Neste sentido, optámos por definir um projecto com uma forte componente prática e vivencial entrosando áreas como a dança, a música, o teatro e as artes plásticas.

 OBJECTIVOS

O trabalho que temos vindo a desenvolver teve início em 2008, no âmbito do Projecto “Jovens de Palco” subsidiado pelo INR, tem procurado assegurar uma ligação mais estreita entre os nossos utentes, outros utentes da comunidade e o   mundo do espectáculo.

Já foram realizadas apresentações do exercício final de 2008 “Mix Infantil” em  Escolas, IPSSs, Clubes, 

Nesta nova fase do Projecto, pretendemos ir mais além, com um trabalho mais maduro e alvo de um maior “profissionalismo” se assim o podemos dizer. Tendo como base de trabalho as terapias expressivas, pretendemos envolver os nossos utentes com deficiência visual com outros utentes, nomeadamente através de parcerias com Centros de   idosos.

Pretendemos assim criar 4 oficinas que, embora distintas se cruzem no trabalho final a saber: Teatro, Dança, Música (percussão) e Artes plásticas (marionetas).

Esculturas Cristina Rocha Leiria

Exposição de Esculturas de Cristina Rocha Leiria




A convite do Gabinete de Referência Cultural da Câmara Municipal de Lisboa, Divisão de Gestão de Bibliotecas, 7 clientes do CAO- Centro de Actividades Ocupacionais da APEDV – Associação Promotora de Emprego de Deficientes Visuais visitaram no dia 17 de Fevereiro de 2011 a exposição de Esculturas de Cristina Rocha Leiria patente na Galeria de Tapeçarias de Portalegre, em Lisboa. Foi uma experiência maravilhosa que aconselhamos a todos os nosso amigos. Visitem a Exposição e partilhem a palavra de alguém tão especial e dedicada como a Cristina Leiria. Excelente qualidade de peças e de pessoas as que encontrámos…


APEDV@2017